Meu perfil
BRASIL, Sul, LONDRINA, Mulher, de 36 a 45 anos, Música, Informática e Internet, cinema/vídeo
MSN -


Histórico:

- 27/11/2005 a 03/12/2005
- 14/08/2005 a 20/08/2005
- 17/07/2005 a 23/07/2005
- 19/06/2005 a 25/06/2005
- 12/06/2005 a 18/06/2005
- 01/05/2005 a 07/05/2005
- 17/04/2005 a 23/04/2005
- 10/04/2005 a 16/04/2005
- 20/03/2005 a 26/03/2005
- 13/03/2005 a 19/03/2005



Outros sites:

- UOL - O melhor conteúdo
- BOL - E-mail grátis


Votação:

- Dê uma nota para meu blog

Indique esse Blog


Contador:



Template por:

Tudo para seu blog!



Que tal uma corzinha a mais ai?

 

Todas as voltas que eu der nessa vida, sejam elas estreitas, largas, perigosas, confusas... é um colorido a mais pra mim. Não importa que esse colorido às vezes esteja carregado, apago um pouquinho, que ele logo se abranda. Se ele estiver apagado demais, forçarei um pouquinho o lápis para que ele possa adquirir mais vida. A minha tranqüilidade transmitirei em cada tom pastel que encontrar, e a minha alegria... ora, estará em todos os cantos de todas as voltas que eu der, para sempre valer a pena os caminhos por onde eu passar!

Carla



- Postado por: Carla às 22h12
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




As “telas” que se abrem a partir da escrita

 

Uma vez assistindo a uma entrevista com a saudosa Raquel de Queiroz, onde falava a respeito de sua obra, Memorial de Maria Moura, ela disse uma coisa que sempre me vem em mente quando estou diante de qualquer veículo de comunicação. Ela mencionou que a televisão ou qualquer outro recurso tecnológico, depende de um escritor.

E é verdade, tudo que é transmitido através de “telinhas” seja ela um computador, uma televisão, cinema, ou mesmo, ondas sonoras, depende, pura e simplesmente, daquela pessoa que fixa a informação através da escrita. 

Por mais que meios de comunicação evoluam, a palavra escrita será sempre fundamental na mediação desses veículos, porque ela é aquela que concretiza o aprendizado, as fantasias, as ideologias, os sentimentos...  

Desde a mais longínqua existência, ela tem feito o papel mais importante na evolução humana, pois a escrita é a conseqüência da necessidade que o homem tem de se comunicar.   

A escrita desenvolve competências como a leitura, onde descobrimos outros mundos, estimulamos um repertório de diferentes imaginários, diferentes sensibilidades, comportamentos... Aliás, o que seria da leitura se a escrita não tivesse guardado todos esses bens culturais?

Bem, só sei que sem ela, não estaria aqui colocando em prática meus pensamentos e permitindo que você, internauta, tenha um pequeno encontro com essa minha descoberta, que por sinal, está sendo transmitida através da tela desse seu computador!

 

 

Carla Valkíria Cândido



- Postado por: Carla às 16h30
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Aprendo, logo existo.

 

“O propósito do aprendizado é crescer, e nossas mentes, diferentes de nossos corpos, podem continuar crescendo enquanto continuamos a viver.” Mortimer Adler

Ao ler esse pensamento, penso que todos nós temos um potencial, e que Deus colocou uma semente dentro de cada um, não para indicar o que é, mas o que poderá vir a ser. Se errar por tentar, não faz mal, errar é uma etapa essencial no processo de crescer, pois eles farão parte da nossa educação. Os erros são a sua chance de descobrir algo novo.

Algo novo que a cada dia descubro ao penetrar em um território como a tecnologia. Apesar de entender um pouco de como é esse mecanismo, sinto que ainda me acompanham a apreensão e a insegurança cada vez que me deparo com o desconhecido. Porém tenho que reconhecer que esses sentimentos são indicadores de que estou preste a entrar no território do crescimento pessoal, pois sei que o fato de não agir aumenta a possibilidade de mais tarde, me arrepender de não ter tentado me tornar a pessoa que sempre quis ser.

De repente achar que depois da sua última realização os dias e as noites daqui pra frente serão o mesmo caminhar... Ora, com tempo as coisas passam ter sabor igual e o mundo perde a cor!  Não se satisfaça com sua última realização, não aceite o seu presente estado como definitivo, porque ele é apenas isso, uma fase de sua vida e muitas outras coisas ainda virão. A vida precisa ser cultivada constantemente e o existir é a somatória do conhecimento que possuímos e do conjunto inexplicável de emoções que nos surpreende a cada aprendizado.

 Carla Valkíria Cândido              

CRTE-Londrina

 

 



- Postado por: Carla às 00h16
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Palavra, um ser mutante

 

Vivemos dentro de muitas comunidades, em que palavras se diferenciam pela classe social, pela idade, pela região, pela formação cultural, intelectual, profissional. Vivemos sempre em busca de palavras que estão de acordo com as nossas convicções, grupos que têm a ver conosco, que por sua vez, estão sempre em constante evolução.

As palavras são variantes com a vida, que nunca é estática, caminha. Por isso, não podemos estar estagnados num só parecer com elas na norma culta, pois a variante da palavra está “onde povo está”. Lembre-se, que a nossa língua é variante de um latim vulgar, ou seja, vocabulário que partiu da população mais simples, porque a palavra se identifica com as nossas atitudes, nossas semelhanças. 

Portanto, sermos mais aberto com a palavra significa sermos mais flexíveis com o nosso pensamento: buscando novas opções, desenvolvendo melhor nossa fluência, e assim melhorando nossa auto-estima. A comunhão entre palavras bem resolvidas mostra um crescimento e um amadurecimento fascinante!

Carla crte-Londrina

 



- Postado por: Carla às 01h08
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




 

Pedagogia do verbo amar

 

Acredito que as pessoas são o que elas amam, porque todos nós somos movidos por ele, o verbo amar. Num romance, Mário de Andrade intitulou: “Amar, verbo intransitivo”, ou seja, dizer que o amor por si só se completa; pois bem, eu, já não fugiria da norma gramatical e reafirmaria que o verbo amar, é mesmo um verbo transitivo. Ele é a nossa transitividade, ele é que conduz a nossa existência...

Trabalhando com a educação, esse verbo me fez perceber que ele, alia-se à motivação num constante movimento, de eternas ações com a informação. E assim, costumo passear muito com meus olhos e ouvidos para classificar nessas ações a essência, conhecer o melhor que há para se aprender.

Eu tenho fome de amar tudo o que me cativa, e gosto de conjugar esse verbo em todos os tempos naquilo que faço. Só não começando com modo subjuntivo, pois eu acho que o verbo amar não pode ser hipotético, ele tem que imperar: ser imperativo, para se certificar no indicativo!                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                      Por Por isso,  acredito que se aplicar esse verbo em nossas aulas, abriremos em nossos alunos, a possibilidade de enxergar a alma das coisas, pois mesmo que a matéria não tenha atrativos naturais, ela tem pelo menos a chance de ser ouvida, e com o tempo quem sabe, ser apreciada, pois sabemos que enchemos de ânimo a vida deles.

 

Carla

Crte-Londrina



- Postado por: Carla às 09h16
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




 

Dizer, porém ouvir!

 

Classificamos a comunicação como completa, a partir do momento em que há entendimento do ouvinte àquilo que o falante diz. Pois bem, só posso ouvir o outro se eu parar de falar, e se eu falar muito, não vou ouvir!

Podemos até nos considerar bons ouvintes, mas o que fazemos na maioria das vezes é ouvir seletivamente; ou seja, quando não estamos tirando proveito só daquilo que nos interessa, estamos fazendo julgamentos sobre o que está sendo dito e pensando em maneiras de terminar a conversa para direcioná-la de modo mais prazeroso para nós.

Uma vez li um artigo de Rubem Alves onde ele dizia que o aprendizado do ouvir não se encontra em nossos currículos, e que a prática educativa tradicional se inicia com a palavra do professor, que muitas vezes até com a força da autoridade quer se apossar do ouvido do aluno. E ele tem toda a razão, pois a maioria das vezes é assim que acontece. Será que isso de uma certa maneira, acaba influenciando na educação de muitas crianças, que crescem parecendo que também querem se apossar dos ouvidos dos outros? 

Todo mundo quer ser escutado, assim como também toda criança quer ser escutada.

Enquanto nós educadores estamos preocupados em falar claro, antes também devemos escutar claro. E mencionando aqui novamente a palavra de Rubem Alves, “a escuta bonita é um bom colo para uma criança se assentar”.

Que tal então pensarmos nessa questão, revendo essa prática em sala de aula! De todos os sentidos mais importantes para a aprendizagem da convivência e da cidadania, é a audição. Se conseguirmos nos tornar um ouvinte que melhora a auto-estima dos outros, as pessoas vão naturalmente nos procurar e depositar confiança em nós, pois “quando ouvimos mais com a intenção de compreender os outros do que com a de retrucar, começamos a construir a verdadeira comunicação”.   

Agora, se você pertence ao grupo dos homens e mulheres capazes de ouvir o seu próximo, fique tranqüilo, que sua audição está perfeita, e a paz do seu mundo está garantida!



- Postado por: Carla às 21h08
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Ops, foi engano! ... Será???

 

 

                         Foto tirada por Lúcia Felipe no 1º encontro em Faxinal do Céu, 2005.

 

De repente ele, ali num vazio dentro de uma cabine, que por sua vez, também solitária diante de um lugar onde uma sociedade de educadores costuma discutir seus impasses, seus desejos, suas utopias, na mesma medida em que necessitam de uma compreensão para que consigam amenizar quem sabe, as múltiplas formas de intolerância, de injustiça.  ...Talvez de imediato, esta cena transmita uma contradição diante do que ela representa. Digamos que depois de sua invenção, a comunicação nunca mais foi a mesma, nunca foi tão imediata e tão requisitada em resoluções tão importantes na nossa vida. Porém, será que esse paradoxo da comunicação não seria algo para nós refletirmos também com que a internet vem proporcionando, onde podemos por um lado ter acesso ao melhor conhecimento humano, mas por outro, afetar o pensamento com tanto lixo cultural, e assim acabar no mesmo vazio??? ...Ora, mas também não sejamos assim tão pessimistas! Logo em primeiro plano nesta foto, existe uma placa, placa indicando o nome de uma praça chamada Abaporu, que apesar da imagem da obra representar um homem solitário, ela indica o marco do modernismo no Brasil, ou seja, do diferente, do novo... Portanto, continuando com a minha “cognição”, isso me leva a crer, que mudanças sempre estarão por vir e a esperança nunca vai deixar de estar sempre a nossa frente! 

                                

        Carla Valkíria Cândido, CRTE –Londrina

                                                



- Postado por: Carla às 00h49
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




De Gramática e de Linguagem

E havia uma gramática que dizia assim:
"Substantivo (concreto) é tudo quanto indica
Pessoa, animal ou cousa: João, sabiá, caneta".
Eu gosto das cousas. As cousas sim !...
As pessoas atrapalham. Estão em toda parte. Multiplicam-se em excesso.

As cousas são quietas. Bastam-se. Não se metem com ninguém.
Uma pedra. Um armário. Um ovo, nem sempre,
Ovo pode estar choco: é inquietante...)
As cousas vivem metidas com as suas cousas.
E não exigem nada.
Apenas que não as tirem do lugar onde estão.
E João pode neste mesmo instante vir bater à nossa porta.
Para quê? Não importa: João vem!
E há de estar triste ou alegre, reticente ou falastrão,
Amigo ou adverso...João só será definitivo
Quando esticar a canela. Morre, João...
Mas o bom mesmo, são os adjetivos,
Os puros adjetivos isentos de qualquer objeto.
Verde. Macio. Áspero. Rente. Escuro. luminoso.
Sonoro. Lento. Eu sonho
Com uma linguagem composta unicamente de adjetivos
Como decerto é a linguagem das plantas e dos animais.
Ainda mais:
Eu sonho com um poema
Cujas palavras sumarentas escorram
Como a polpa de um fruto maduro em tua boca,
Um poema que te mate de amor
Antes mesmo que tu saibas o misterioso sentido:
Basta provares o seu gosto...

Mário Quintana

"Os puros adjetivos isentos de qualquer objeto" ... ahhh, esses sim, aqueles que capitamos, fotografamos com os olhos. O adjetivo é a essência, pois é através deles que enxergamos a alma dos seres. Precisa mais? Acho que por isso Caetano fotografa tão bem um momento a partir do que está sentindo e vendo ao mesmo tempo em TREM DAS CORES:





- Postado por: Carla às 16h14
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO EM METÁFORAS



No dia em que perceber um diálogo entre dois mundos – o escolar e o virtual, começa a se tornar cada vez mais necessário; que tal dar um CLIQUE DUPLO, na sua consciência, ARRASTÁ-LA para o diretório principal de suas idéias, fazer um ALGORÍTIMO de suas funções para um novo! JUSTIFIQUE, ALINHE À DIREITA, À ESQUERDA, sem QUEBRAS na sua caminhada. Não esqueça também de colocar tudo isso na sua BARRA DE FERRAMENTAS, para diariamente ter como recomeçar. Caminhe na BARRA DE ROLAGEM caso queira voltar para rever o que já foi feito, refletir..., mas sem desistir! Faça um DOWNLOAD, enxergue além dos obstáculos. Se errar, veja o lado positivo das perdas, pois a aprendizagem é a conseqüência delas, e nessa NOVA TELA você verá que quando se descobre que é capaz, a reciprocidade é FONTE da graça para sua ÁREA DE TRABALHO, o PAINTBRUSH para COLORIR o seu sorriso, e enfim CONFIGURAR sua simpatia por essa nova comunicação.


Se precisar, crie um ATALHO, ou melhor, faça um ZOOM para iluminar e percorrer melhor esse caminho. FILTRE o que tem de melhor para construir o conhecimento e as novas formas de se relacionar com esse mundo, construindo uma espécie de METÁFORA - como as deste texto, ou seja, um HIPERTEXTO abrindo CONECÇÕES para outras dimensões da realidade, instaurando novas formas de dialogo e de construção.


SALVE a criatividade, seus sonhos poéticos e as metas bem definidas no seu ARQUIVO PRINCIPAL. DELETE o medo de ser livre. Sem receio, publique suas idéias num BLOG, num SITE... num PODCAST! Para que as ondas de sua voz possam LOGAR em outros ouvidos, levando os mesmos a quererem criar novos sonhos “nunca dantes navegados” pela NET. SELECIONE o prazer dessas pequenas coisas, e envie tudo para o DOCUMENTO MESTRE. Que essas lições sejam um modelo para FORMATAR na grande escola da existência. DESATIVE e DESLIGUE SEU COMPUTADOR COM SEGURANÇA.


Jogando metáforas nas minhas colocações, quis de certa forma, mostrar na metalinguagem o que os elementos cognitivos do computador podem dar no direcionamento da nossa capacidade.

E assim fecho com algumas palavras, nas quais acho ter tudo a ver com a minha retórica: "A cada dia que vivo, mais me convenço de que o disperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável. O sofrimento é opcional."
Carlos Drummond de Andrade.



- Postado por: Carla às 01h08
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




 



- Postado por: Carla às 14h20
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




A boa razão do blog

Bendito seja o ciberdiário, blog, esse espaço que a net criou abrindo as portas para milhares de anônimos esmiuçar seus cotidianos, críticas, ou simplesmente bater papo!

Escrever ao sabor do tempo, colecionar os dias... colocar-se no papel, ou melhor, na tela cotidianamente, é sem dúvida, decifrar seu interior sem precisar de terapia. Pois dentro desse espaço, escrevemos as coisas não como elas são, mas como deveriam ser, querendo talvez embelezar a vida, refugiando-se para o sonho e dando-lhe um novo sabor.

Esse diário abarca a realidade e a ficção, trazendo um pouco de informação de época, de crítica aos costumes cotidianos, que precisa de leitores, e de seus comentários e sugestões para ser alimentado.

O blog é um emaranhado de textos que brotam da cabeça do usuário assim, de uma hora para outra. De repente nada de ficar falando sobre a vida pessoal, colocar fotos do cachorrinho ou revelar o que comeu no almoço, mas sim revelar uma preocupação ou interesse por algum assunto, colocando o que pensa a respeito, como o que estou fazendo agora nesse espaço do site.

O blog é sem dúvida um híbrido de vários tipos de escrita, dividido entre vários estilos, misturando formalidade do texto escrito e a linguagem coloquial do texto oral, com cortes de palavras, sinais e símbolos que a internet permite.

Tudo isso, é "tudo de bom", e se levar o recurso dos blogs para sala de aula, nem se fala, pois o blog é um modo divertido do jovem estabelecer sua identidade, explorando conteúdos típicos de adolescentes, podendo assim representar um avanço na capacidade de comunicação dos nossos alunados, onde eles estarão exercitando a leitura, a escrita, o senso crítico e a familiaridade com a informática, permitindo-lhe ainda a interatividade e a troca de experiências.

O que acharam do meu texto? Bem, isso é um pouco sobre o que ando lendo e pesquisando sobre essa ferramenta.  Beijos e inté. Carla crte-Londrina



- Postado por: Carla às 17h01
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Acho que ficar a sós e descansar durante um período não é egoísmo, é necessidade de pensar, de analisar o que está se passando ao meu redor, decidir qual melhor caminho a seguir, pôr as coisas em seus trilhos certos.  Preciso manter minha mente em forma fisicamente, preciso de um tempo para renová-la, para enxergar quem realmente sou, me fazer reconhecer meus erros: “ a dificílima danderogíssima viagem de si a si mesmo: pôr o pé no chão do seu coração experimentar colonizar, civilizar, humanizar o homem descobrindo em suas próprias inexplorada entranhas a perene insuspeitada alegria de com-viver” Carlos Drummond de Andrade



- Postado por: Carla às 23h25
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




 

Quero aqui revitalizar minha imaginação... Seja ela por inspirações de leituras, letras de músicas ou observações da minha vivência... Que ela se faça assim: esculpida da mais pura poesia. Quero permitir que as minhas realizações inspirem minha imaginação e alimentar de fogo essa minha busca para manter minha mente engrenada. Assim espero me incentivar e progredir diante de um novo, mas com uma força que me empurra sempre para frente, a força maior que assim me faz ser:

elas, minhas meninas, razão de toda a minha existência...



- Postado por: Carla às 17h28
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________